Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

Logotipo da Associação Quilombola do Cumbe/Aracati - CE

Imagem
Música: Cumbe Gigi Castro e Soraya Vanini Na vida do Cumbe há, Tanta água no Cumbe,ê! É maré baixa! É maré cheia! (bis) Água de beber! Água de banhar! Água onde a vida Pede pra crescer! (bis) Na vida do Cumbe há Tanta lenda no Cumbe, ê! São Sebastião São! Índio nosso irmão! (bis) Lenda pra contar! Lenda pra fazer! Lenda para um mundo Melhor de viver! (bis) Na vida do Cumbe há Tanto mangue no Cumbe, ê! (bis) Beija o rio, veja, Beija o rio o mar! (bis) Mangue pra pescar! Mangue a garantir A vida no Cumbe E no Aracati!
Imagem
Música: Portal do mar Gigi Castro e Soraya Vanini Não mangue, de mim, não mangue! Sou mangue, vou lhe contar! Não mangue de mim, sou mangue, por feio me querem dar! O caranguejo que na praia você come, O camarão que pula na sua barriga, Vê se me entende, homem, O que em mim se cria, Vê se me entende é o que mata a sua fome! Não mangue, de mim, não mangue! Sou mangue, vou lhe contar! Não mangue de mim, sou mangue, por feio me querem dar! A lama negra, a que você não quer dar nome, Tem aratu, tem sururu, ostra do mangue, ê! Vê se me entende, homem, O que em mim se cria, Vê se me entende é o que mata a sua fome! Portal do mar! Portal do mar!
Imagem
Desde 1995, os pescadores/as quilombolas do mangue do Cumbe vêm se organizando para enfrentar as injustiças ambientais, o cercamento expulsivo e as violações de direitos cometidas pelas políticas econômicas do Estado e empresários. É neste território de luta, resistência, histórias e memórias que os pescadores/as quilombolas do mangue do Cumbe vêm desenvolvendo atividades culturais, contribuindo em trabalhos e pesquisas científicas, além de sensibilizar os visitantes sobre a importância dos ecossistemas presentes na comunidade e da importância da memória social como processo de resistência, defesa e afirmação da identidade do grupo. Diversas são as atividades desenvolvidas pelos pescadores/as quilombolas do mangue do Cumbe, como forma de resistência e defesa do território tradicional, dando destaque para a Festa do Mangue, que esse ano tem como tema: “III Festa do Mangue do Cumbe: identidade quilombola pesqueira e território livre” , que vai acontecer no mês de setembro, onde os p