Postagens

Mostrando postagens de Março, 2014
Imagem
Edifici Cn – Campus de Bellaterra 08193 Cerdanyola del Vallès · Barcelona Tel.:(+34) 93 581 29 74 · Fax: (+34) 93 581 33 31 icta@uab.cat · www.uab.cat/icta Companheiras e companheiros, Por meio desta carta, o Grupo de Estudos sobre a Zona Costeira do Ceará (GEZCC) da Universitat Autònoma de Barcelona (UAB) quer registrar o seu apoio à Comunidade do Cumbe na luta por justiça socioambiental e na resistência contra a carnicicultura. Diante dos fatos ocorridos na manhã, de 12 de março de 2014, este grupo de investigação: - Repudia a violação dos direitos humanos e condena a ação violenta de Cotar - Comando Tático rural que invadiu a comunidade atirando contra lideranças do Grupo de Pescadores e Marisqueiras da Comunidade do Cumbe; - Rejeita a destruição irreversível dos bens comuns, da biodiversidade e do ecosistema manguezal causados diretamente e indiretamente pela aquicultura de camarão; - Demonstra total oposição a essa atividade insustentável já que tem um impacto n
Entidade internacional cobra autoridades sobre violência no Cumbe POSTADO POR  FOLHA DE ARACATI  EM  13/03/2014  NA  COMUNIDADE  | 214 VIEWS |  LEAVE A RESPONSE A Redmanglar Internacional publicou nesta quinta-feira nota de repúdio a desocupação de uma área na comunidade do Cumbe, ocorrido na manhã de ontem (12), expressando sua preocupação e condenando a violação dos direitos humanos dos moradores da comunidade do Cumbe. . Na nota, a entidade rechaça que a justiça e outras instituições governamentais favoreçam interesses particulares a favor de um empresário da carcinicultura, contra o bem comum e coletivo de uma população. A entidade solicita ainda que o prefeito de Aracati, Ivan Silvério, atue em favor do benefício dos habitantes do município e respeite os direitos de sua população, garantindo o desenvolvimento social e ambiental do município, “ao invés da reativação deste empreendimento camaroneiro que está vulnerabilizando a população e o ecossistema manguezal”. Ainda
Carta aberta à sociedade brasileira “Vocês, de manhã, administrem a justiça e libertem o oprimido da mão do opressor...” Jr.21,12b Nós, agentes do Conselho Pastoral dos Pescadores (CPP), estivemos reunidos em assembleia nacional com a participação de representantes do Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais do Brasil (MPP) e de outras organizações que atuam na defesa dos direitos dos povos e das populações tradicionais, no período de 10 a 14 de março/2014, em Olinda/Pernambuco. Na ocasião, avaliamos as ações do CPP junto aos pescadores/as artesanais; construímos estratégias coletivas visando fortalecer o protagonismo dos pescadores/as na luta pela garantia dos seus direitos. Diante da conjuntura avaliada, constatamos o acirramento da situação de negação de direitos em que vivem as pescadoras e os pescadores artesanais do país submetidos à política desenvolvimentista adotada pelo Estado. A ação do governo ignora o modo de vida destas comunidades objetivando a abert
Comunidade do Cumbe é vítima de terrorismo e vandalismo de Estado *Pe. Antonio Julio Ferreira de Souza, C.Ss.R A Comunidade do Cumbe viveu nessa quarta, 12, um ... dia de terrorismo e vandalismo de Estado. Com o aval da Juíza Ana Celina Monte Studart Gurgel Carneiro, "cidadã aracatiense", mais de 20 policiais militares fortemente armados, com um aparato desproporcional à ação, chegou à comunidade para destruir o barracão da resistência e a criação de ostras dos pescadores. Dizem que a justiça é cega, mas pelo que vimos na comunidade do Cumbe, ela sabe muito bem o que faz, para que faz e para quem faz. Como se pode alegar que uma criação de ostras numa gamboa prejudica a criação de camarão ? O contrário sim, a criação de camarão aos moldes que temos em Aracati, vem prejudicando o meio ambiente, as comunidades e as pessoas. Com essa ação fica cada vez mais comprovado que há uma grande distância entre o que diz a lei e como ela se concretiza, ela não é para todos de forma
Imagem
Atrás da Barricada: O Quilombo do Cumbe O Cumbe [Aracati, Brasil] é uma comunidade onde tudo é farto. Sobra comida, água, amor, luta e receptividade aos visitantes bem-vindos. Transborda resistência lá. A comunidade, última à margem direita da foz do rio Jaguaribe, se localiza numa região riquíssima do ponto de vista ambiental, em um ponto de encontro do rio com o mar, uma área de mangue onde tudo dá: caranguejos, ostras, sururu, peixes, mariscos etc. Os capitalistas cearen ses e de outros países e os potentados locais de Aracati (políticos, prefeitos, delegados, empresários da carcinicultura, investidores em energia eólica, especuladores da indústria imobiliária no litoral) querem, a todo custo, tomar o Cumbe dos seus moradores, expulsá-los de sua terra tradicionalmente ocupada há mais de um século. O interesse inconfessável dos capitalistas com este belíssimo lugar é inseri-lo definitivamente nas rotas de circulação de mercadorias. A luta que se desdobra no Cumbe há décadas, se
Imagem
Ação de reintegração de posse deixa um pescador ferido e um pesquisador preso em área de carcinicultores!!! A comunidade do Cumbe foi palco da violência comet ida pela policia do Comando Tático Rural (COTAR). Os policiais chegaram hoje pela manhã por volta das 8:30, na comunidade, com ordem de reintegração de posse, sem avisar antes, cedida pela Juíza Ana Celina Monte Studart Gurgel Carneiro, da 1ª Vara da comarca de Aracati. Na ação um pesquisador foi preso e um pescador ficou ferido. O local onde os moradores estavam acampados é uma área de manguezal, titulado como área da marinha, mas segundo o carcinicultor Rubens Santos, área pertence a ele. Em resposta a tentativa de não deixar o carcinicultor tomar o mangue, os pescadores resolveram ocupar a área. Os pescadores e pescadoras tentaram negociar com os policiais, mas eles foram recebidos com bombas de gás lacrimogênio. O morado João Luiz “disse que só queria saber o que estava acontecendo para negociar com ele, ma
Imagem
REINTEGRAÇÃO DE POSSE   13/03/2014 - 15h46 Polícia expulsa comunidade de pescadores de área sob conflito em Aracati Um estudante da USP foi preso na operação. Advogado popular denuncia violência da Polícia, que nega qualquer irregularidade. No momento, cidade se encontra sem juiz NOTÍCIA 0   COMENTÁRIOS FOTOS: RACISMOAMBIENTAL.NET.BR Moradores da comunidade Cumbe REINTEGRAÇÃO DE POSSE Polícia expulsa comunidade de pescadores de área sob conflito em Aracati (0) BR-304 PM é preso transportando 150 kg de maconha em Aracati (0) CE-040 Capotamento deixa um morto e sete feridos (0) A Polícia cumpriu uma  reintegração de posse  na comunidade do Cumbe , em Aracati (a 148,3 km de Fortaleza), na manhã desta quarta-feira, 12. A ação, que começou por volta de 8 horas e se estendeu pela tarde, contou com 24 policiais do Comando Tático Rural (Cotar) e do Policiamento Ostensivo Geral (POG) local, em seis viaturas. Um homem foi preso na operação. A
Imagem
Nota de solidariedade: Contra a violência policial na comunidade do Cumbe, Acacati, CE Por  CombateRacismoAmbiental , 13/03/2014 07:46 Share on facebook Share on twitter Share on email Share on pinterest_share More Sharing Services 2 Por Janete Melo em  O Planeta em Movimento Diante dos fatos ocorridos nessa manhã, de 12 de março de 2014, denunciamos a ação violenta de 20 policiais do Comando Tático Rural – COTAR, Polícia Especial Itinerante, vinculada à Policia Militar do Ceará, que invadiu a comunidade atirando contra lideranças do Grupo de Pescadores e Marisqueiras da Comunidade do Cumbe. Além de destruir um cultivo comunitário de ostra, a Policia prendeu um pescador e um estudante do curso de Sociologia da Universidade de São Paulo – USP, que realizava pesquisa na comunidade. Diante da violência policial e violação aos direitos humanos nos solidarizamos com a Comunidade do Cumbe e convidamos as pessoas e organizações parceiras para apoiar a resistência na comuni
Imagem
NOTA DE SOLIDARIEDADE A COMUNIDADE DO CUMBE - ARACATI - CEARÁ Contra a violência policial na comunidade Diante dos fatos ocorridos nessa manhã, de 12 de março de 2014, denunciamos a ação violenta de 20 policiais do Comando Tático Rural – COTAR, Polícia Especial Itinerante, vinculada à Policia Militar do Ceará, que invadiu a comunidade atirando contra lideranças do Grupo de Pescadores e Marisqueiras da Comunidade do Cumbe. Além de destruir um cultivo comunitário de ostra, a Policia prendeu um pescador e um estudante do curso de Sociologia da Universidade de São Paulo – USP, que realizava pesquisa na comunidade. Diante da violência policial e violação aos direitos humanos nos solidarizamos com a Comunidade do Cumbe e convidamos as pessoas e organizações parceiras para apoiar a resistência na comunidade do Cumbe assim como, defender os direitos de todos/as pescadores e pescadoras aos territórios tradicionais na Zona Costeira do Ceará. Instituto Terramar